Quando começar a investir na aposentadoria?

Papo IOUU

leitura de 4 min

Capitalização do negócio: é uma boa opção?

Com o atual cenário econômico, torna-se muito difícil expandir uma empresa, pois, com a diminuição d...

leitura de 4 min

A reforma da Previdência Social e os seus impactos na vida dos brasileiros tem sido um dos assuntos mais debatidos na atualidade. Com efeito, muitas pessoas têm despertado a atenção para a necessidade de se preparar e investir na aposentadoria, mas têm dúvidas sobre qual a melhor maneira de fazê-lo.

Por isso, no post de hoje, vamos tratar do momento em que se deve começar a investir na aposentadoria e quais são os investimentos mais adequados a esse objetivo. Veja!

Investir na aposentaria: quanto antes melhor

As recentes discussões sobre a Previdência Social têm demonstrado que confiar seu futuro ao Governo pode ser uma péssima escolha.

Nas últimas décadas, o país passou por um fenômeno de elevação da expectativa média de vida dos brasileiros, aumentando a demanda pela aposentadoria do INSS. Segundo dados da FAPESP, em 2025 teremos uma das seis maiores populações de idosos do mundo, o que tende a agravar cada vez mais o déficit previdenciário.

Por isso, é importantíssimo que você procure meios alternativos para acumular o patrimônio necessário para se aposentar. Além disso, é necessário que você se planeje o quanto antes, já que quanto mais cedo você começar a investir, mais fácil será para acumular o patrimônio necessário.

Conhecer as opções é o melhor caminho para investir na aposentadoria

Investir na aposentadoria é pensar no longo prazo e, portanto, lidar com uma margem de imprevisibilidade muito grande. Não há como prever as oscilações da economia em horizontes tão dilatados. Além disso, é preciso resguardar-se da inflação, o grande “vilão” dos investimentos de longo prazo.

Assim, para auxiliá-lo nessa tarefa, listamos abaixo alguns investimentos indicados para a aposentadoria. Confira:

Tesouro IPCA+

Trata-se de título público emitido pelo Tesouro Nacional, que garante ao investidor o resgate do valor investido corrigido pela inflação, mais um percentual de ganho real. É um título geralmente emitido com um prazo extenso de vencimento, ideal para quem investe no longo prazo. Os títulos do tesouro têm ainda a vantagem de serem muito acessíveis, sendo possível o investimento com aplicações a partir de R$ 30,00.

Debêntures pós-fixadas

As debêntures pós-fixadas são títulos privados emitidos por empresas, que podem ser corrigidos por um índice de inflação como o IPCA ou a Selic e pagar um percentual de ganho real, de forma muito semelhante ao Tesouro IPCA+. Além disso, existem debêntures incentivadas, sobre as quais o Governo não cobra imposto de renda. São, portanto, interessante opção para quem investe no longo prazo, como é o caso da aposentadoria.

Dividendos

Quem investe em ações não precisa, necessariamente, assumir grandes riscos. No mercado acionário há empresas chamadas de valor, que são aquelas que investem menos em si mesmas, mas em compensação repartem um maior percentual de seus rendimentos entre os acionistas. Esse valor distribuído entre acionistas é o que chamamos de dividendos.

Ao investir em ações que pagam bons dividendos, você não estará preocupado se o valor dos papéis oscilam, por que o seu rendimento não vem do preço da ação, mas do lucro que a empresa distribui periodicamente entre os acionistas. Isso acaba diluindo os riscos de se operar na Bolsa de Valores.

Além disso, os dividendos também são isentos de imposto de renda, o que os tornam uma opção atraente para quem quer viver de renda.

Planos de Previdência Privada

Os planos de previdência privada são a forma mais simples e segura de investir na aposentadoria. Funcionam como grandes fundos de investimento com estratégias diferenciadas, principalmente no que concerne à tributação, e focados na geração de riqueza para o longo prazo. Geralmente estão sujeitos a taxas de administração e a taxas de carregamento, cobradas sobre o valor de cada aplicação.

Há dois grandes modelos de previdência privada: o Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL) e o Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL). A grande diferença entre os dois modelos é que, no primeiro, a tributação do IR incide apenas sobre os rendimentos, enquanto no segundo a tributação incide sobre o valor total resgatado.

Não espere para começar a investir na aposentadoria

Se você gostou do texto e aprendeu a importância de começar a investir na aposentadoria, assine nossa newsletter e receba muitas outras dicas de investimento como estas.

Seja um dos novos investidores da IOUU

Assine a newsletter da IOUU e mantenha-se atualizado com as notícias do mercado!

imagem-01-blog

Quem viu esse post também curtiu:

A diferença entre Retorno Sobre Investimento e Tax...

Entender o conceito de retorno sobre investimento ...

leitura de 9 min

Livros sobre investimentos: 6 títulos para ler em ...

Procurar por livros sobre investimentos é o primei...

leitura de 12 min

Aplicações de Renda Fixa: guia completo para inves...

Muitas pessoas buscam por aplicações em renda fixa...

leitura de 8 min