Qual a melhor forma de empréstimo: peer-to-peer ou bancário?

Papo IOUU

leitura de 3 min

Capitalização do negócio: é uma boa opção?

Com o atual cenário econômico, torna-se muito difícil expandir uma empresa, pois, com a diminuição d...

leitura de 4 min

Os empréstimos sempre foram uma forma de fomentar os negócios no Brasil. Empresários com poucos recursos para investir precisam mesmo recorrer a ajudas externas para crescer. Mas qual seria a melhor forma de empréstimo? Os créditos bancários são os mais conhecidos e tradicionais do mercado.

A operação é bem familiar: precisando de recursos, o empresário vai até uma instituição financeira. Então, solicita um valor, define em quantas parcelas será o pagamento e aguarda a aprovação dos setores do risco do banco.

Embora funcione bem em algumas situações, o empréstimo bancário também envolve taxas muito altas e uma enorme burocracia para conseguir os valores. Em um mercado dinâmico como o atual, é necessário um pouco mais de eficiência.

Essa lacuna vem sendo preenchida pelos empréstimos Peer to Peer (P2P). Vamos conhecer um pouco mais sobre eles?

Peer to Peer: empréstimo de pessoa para pessoa

A tradução literal de Peer to Peer é essa que está acima: trata-se de um empréstimo financeiro feito de uma pessoa para outra. Assim, este tipo de fomento já existe em alguns países na Europa e começa a chegar ao Brasil como solução para muitos empresários   que estão em busca de recursos.

O P2P é realizado por meio de uma plataforma digital que liga investidores a solicitantes. Para conseguir o empréstimo, você se cadastra no sistema e descreve qual é a necessidade do seu negócio — esse é um momento muito importante da negociação, pois é com essa descrição que você conseguirá despertar o interesse de quem busca investir.

Do outro lado da plataforma estão os investidores. Eles buscam formas rápidas e atrativas de rentabilizar seus recursos. Desse modo, escolhem o negócio que desejam fomentar, baseados na descrição feita pelos tomadores que precisam do empréstimo.

Ao escolherem uma opção, eles emprestam o dinheiro ao empresário que está necessitand, de acordo com uma taxa pré-definida pela plataforma e acordada por ambos os lados.

Após o prazo do empréstimo, os investidores recebem de volta o seu dinheiro, acrescido da rentabilidade obtida.

Peer to Peer x Empréstimo Bancário

As duas maiores vantagens do P2P sobre os empréstimos bancários são as taxas menores praticadas e a forma mais facilitada de se obter o recurso, com menos burocracia.

Os bancos cobram, por um empréstimo para pessoa jurídica, taxas que variam entre 5 e 10%. Além disso, para conseguir o dinheiro, é preciso apresentar uma infinidade de documentos, assinar diversos formulários e aguardar todo o trâmite interno da instituição para conseguir o recurso.

As plataformas P2P vêm praticando taxas que ficam em cerca de 2% e a análise de risco do cliente é feita instantaneamente, por meio de consultas online aos órgãos de proteção ao consumidor. Além disso, enquanto o tomador consegue taxas atrativas e pouca burocracia, o investidor também obtém rentabilidades melhores do que o mercado  convencional financeiro oferece.

Agora que você já conhece o P2P, está na hora de procurar a melhor forma de empréstimo para o seu negócio! Se você quiser ter acesso a mais posts como este, assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo direto na sua caixa de e-mails!

Conheça os benefícios de empréstimo online: simule agora

Assine a newsletter da IOUU e mantenha-se atualizado com as notícias do mercado!

imagem-01-blog

Quem viu esse post também curtiu:

Pessoa Politicamente Exposta: O que é e o que muda...

Um termo que tem ganhado cada vez mais relevância ...

leitura de 7 min

Peer to Peer Lending no Brasil: O que é e como sol...

O mercado de Peer to Peer Lending no Brasil está c...

leitura de 5 min

Como atrair clientes para seu negócio em 6 passos ...

Como atrair clientes é a pergunta número um feita ...

leitura de 9 min