O que é IOF e como funciona esse imposto?

Papo IOUU

leitura de 9 min

Os 5 maiores investidores do Brasil

Os 5 maiores investidores do Brasil Tem muito investidor com alta capacidade entrando no mercado nes...

leitura de 9 min

IOF: entenda o imposto nas entrelinhas

Se você não sabe ao certo o que é IOF, não se preocupe, não é o único. Ainda assim esse é um assunto obrigatório para quem investe ou quem está em busca de empréstimo ou financiamento, além de ser uma informação bastante importante para se ter, já que essa alíquota influencia muito em sua vida.

Pois essas 3 letras fáceis de falar podem representar um impacto financeiro, caso você não conheça ou esteja preparado.

Em algum momento da vida você já fez alguma transação financeira que teve incidência direta do IOF e talvez você nem tenha visto.

Entretanto, o IOF é uma cobrança regular que é informada a você no momento que houver a transação, pode ser na fatura do cartão de crédito, na composição do empréstimo ou no resgate do investimento.

Por isso mesmo que você deve conhecê-lo a fundo, saber como ocorre a cobrança, qual valor que você pode pagar e como saber se é isento deste imposto.

Para saber sobre essas dúvidas acompanhe esse conteúdo até o final que vai esclarecer suas dúvidas.

O-que-é-IOF

O que significa IOF?

É o Imposto sobre Operações Financeiras que é pago por pessoas físicas e jurídicas que efetuam empréstimos, financiamentos, operações relativas a títulos ou valores mobiliários, câmbio ou seguro.

Trata-se de um tributo federal que vai direto para a União e depois é redistribuído.

A taxa cobrada é proporcional ao valor movimentado e corresponde a uma alíquota pré estabelecida (que você vai conhecer logo mais).

Para que serve?

Este imposto tem duas funções principais. A primeira é para a arrecadação e geração de receita para a União.

A segunda, tão importante quanto a primeira, trata de medir a economia nacional, já que por se tratar de operações financeiras, então quanto maior a arrecadação, quer dizer que houve maiores movimentações e vice-versa.

Como o imposto da IOF é cobrado?

É cobrado em função do tipo de operação e do movimento, sendo acrescido no montante total da movimentação, por exemplo no cartão de crédito vem informado o valor da compra mais o IOF.

Em geral, a regra é que o imposto seja cobrado automaticamente durante o faturamento de sua compra, financiamento ou resgate de investimento.

A história do IOF

História da IOF

 

Ainda que tenha sido criado em 1988, o IOF somente foi posto em prática em 1994, por Itamar Franco. O intuito deste era de controlar melhor o mercado financeiro, especialmente no que diz respeito às aplicações.

Por conta dos altos índices de inflação encontrados nas décadas de 1980 e 1990, era comum as pessoas fazerem aplicações e sacarem o valor horas ou dias depois. Para controlar esse ímpeto, foi aplicado o IOF.

Com a criação de mais esse imposto, o governo poderia incentivar ou não uma atividade econômica. Por decreto, esse valor pode ser alterado pelo Presidente e pelo Poder Executivo.

Segundo a Receita Federal, a ideia não era utiliza-lo como fonte de renda, ainda que essa fosse uma das consequências. Talvez os motivos por trás da criação do IOF não façam sentido nos dias de hoje, mas certamente eram claros naquele período.

IOF para empréstimo e financiamento 

O IOF para empréstimo atualmente é de 0.38% + uma alíquota diária, que varia de acordo com o tipo de transação. Por exemplo, as operações de crédito possuem o IOF de 3% ao ano, calculado no momento da liberação do crédito.

Esse imposto é somado ao valor do crédito solicitado, mais a taxa de juros, assim formando o custo efetivo total (CET) da operação.

Por isso é muito importante antes de solicitar o empréstimo quais os custos da operação e suas particularidades conhecer como escolher os melhores empréstimos do mercado. 

Pode pular as etapas e já conhecer a opção de crédito Peer-to-Peer.

O investidor também paga IOF?

Investidor-paga-IOF

Sim, mas depende do investimento e do tempo de resgate. É por isso que é necessário entender as particularidades envolvidas para que você não pague esse imposto.

Existe uma regra específica que determina o percentual de imposto cobrado de acordo com o tempo que o dinheiro permanecer aplicado.

Quais investimentos tem incidência de IOF:

1. CDB (Certificado de Depósito Bancário),
2. LC (Letra de Câmbio),
3. LF (Letra Financeira)
4. Tesouro Direto
5. Fundos de investimento

No entanto, o investidor só vai pagar IOF se fizer o resgate do seu capital em menos de 30 dias.

O percentual de imposto é maior no primeiro dia (96%) e menor no 29° dia (3%) e no intervalo desses dias o valor vai diminuindo de acordo com o tempo.

É importante que você consulte a tabela de cobrança para que esteja ciente do valor de IOF no intervalo de 1 e 29 dias.

Onde mais tem IOF?

Acompanhe abaixo a tabela que apresenta os valores de IOF de outras operações financeiras, além das duas que você viu acima.

Operação

Alíquota (%)

Compras internacionais com cartão de crédito, débito ou pré-pago

6,38

Compras com Traveler Cheque

6,38

Câmbio

1,1

Transferência Internacional – Titularidade Própria

1,1

Transferência Internacional – Terceiros

0,38

Juros rotativos do cartão de crédito

0,38 + 0,0082 por dia

Cheque especial

0,38 + 0,0082 por dia

Seguros

de 0,38 a 7,38 – depende do bem assegurado

 

Quem é isento da IOF?

Isento-de-IOF

Na maioria das operações vistas acima não tem como ser isento da taxação do imposto, mas existem formas de você minimizar ou realmente não pagar. Como é o caso do investimento.

Para que você não precise pagar a cobrança do IOF existem duas formas:

1. Ter uma carteira de investimentos que seja isenta de IOF, para isso sabendo quais investimentos não tem a cobrança. Como por exemplo ações e peer-to-peer lending. Não pagando o imposto aumenta a rentabilidade, por isso é importante ter diversificação.

Motivos para investir em Peer-to-Peer Lending e não pagar IOF. 

2. Manter o investimento em renda fixa (CDB e LCI, por exemplo) ou fundo de investimento por pelo menos 30 dias para que não entre na cobrança.

Agora que já sabe o que é IOF

Não existe como se livrar do IOF, de alguma forma na sua vida você vai pagar ou já pagou o imposto.

O mais importante nisso tudo é saber que existe uma taxação, mas que é possível reduzir ou isentar o impacto sobre o rendimento ou no pagamento, só que para isso é necessário entender como.

Assim como nos investimentos onde você pode escolher as opções isentas de IOF, como é o caso do peer-to-peer lending.

E no caso dos empréstimos o impacto no pagamento pode ser menor não na redução do IOF, mas nos custos totais como a taxa de juros. Uma opção que você pode considerar é o empréstimo peer-to-peer que possui boas condições comparadas às outras opções de mercado.

Simule Empréstimo Peer-to-Peer Lending

 

Agora você já sabe como lidar com o IOF tanto em investimentos quanto no empréstimo, e nessas duas opções você pode contar com a IOUU.

Assine a newsletter da IOUU e mantenha-se atualizado com as notícias do mercado!

imagem-01-blog

Quem viu esse post também curtiu:

Economia Compartilhada: o que é e como utilizar es...

Muito provavelmente você já ouviu o termo economia...

leitura de 9 min

Newsletters de economia: 7 opções para entender o ...

Uma boa forma de estar atento a tudo que acontece ...

leitura de 13 min

5 Podcasts sobre Economia que você precisa conhece...

Ouvir a podcasts sobre economia está ficando cada ...

leitura de 9 min