É seguro pegar um empréstimo com uma Fintech?

Papo IOUU

leitura de 3 min

Os 5 maiores investidores do Brasil

Os 5 maiores investidores do Brasil Tem muito investidor com alta capacidade entrando no mercado nes...

leitura de 9 min

Ter dinheiro para o capital de giro e para investir no crescimento da empresa é uma busca constante dos empreendedores. Mas, enquanto os juros altos e a burocracia dos bancos afastam os pequenos empresários, as startups financeiras estão mudando esse jogo. Por meio do empréstimo com uma Fintech (como são chamadas essas empresas), conseguir taxas mais baixas e condições simplificadas passou a ser uma alternativa para quem tem um negócio.

Entenda a seguir como essas startups funcionam, como se dão as operações de crédito e por que essa é uma modalidade segura de empréstimo on-line.

O que são as Fintechs?

As startups da indústria financeira são empresas que oferecem produtos e serviços de maneira acessível e barata por meio das novas tecnologias. Desse modo, elas podem ser aplicativos para organização financeira, cartões de crédito, seguros ou plataformas de empréstimos para empresas.

Segundo o Fintechlab, organização que acompanha o segmento no Brasil, existem ao menos 247 iniciativas no país, as quais receberam mais de R$ 1 bilhão em investimentos nos últimos anos.

Como funciona um empréstimo com Fintech?

O Brasil é constantemente apontado como o país com os juros mais altos do mundo. E isso afeta diretamente o setor produtivo, que precisa de dinheiro barato para investir e crescer.

Diante das taxas praticadas por aqui, as startups financeiras viram uma oportunidade de oferecer empréstimos com menor custo e menos burocracia aos clientes.

A forma mais difundida é o empréstimo de pessoa para pessoa, o peer to peer (P2P). Assim, um investidor disponibiliza os seus recursos para uma empresa, que, em troca, devolve o montante com juros.

O negócio é bom para os dois lados. Para quem empresta, porque consegue rentabilizar o dinheiro em pouco tempo. E para quem recebe, porque viabiliza o capital necessário a um menor custo.

A negociação é feita por meio de uma plataforma on-line, que é criada e mantida pelas próprias Fintechs. Os juros são prefixados e definidos no momento da negociação.

Enquanto nos bancos o custo do crédito para pessoa jurídica oscila de 5% a 10% ao mês, nas startups ele fica em torno de 2% ao mês. Em média, o dinheiro para os empresários fica disponível em 15 dias.

Por que o empréstimo com Fintech é seguro?

Mas a maior facilidade não significa que a operação não tenha as suas exigências.

Para poder operar, as Fintechs têm de se adequar às normas do Sistema Financeiro Nacional, que são definidas pelo Banco Central.

Além disso, para obter os recursos, as micro e pequenas empresas devem se cadastrar nas plataformas e passar por uma análise de risco de crédito. O processo ocorre por meio de consultas a bancos de dados de entidades de proteção ao consumidor.

Feito o cadastro e a solicitação, os tomadores têm ainda de passar pelo crivo dos investidores, que avaliarão o perfil e os serviços oferecidos pelos futuros tomadores.

Com isso, conseguir um empréstimo com Fintech se torna um negócio seguro e vantajoso para os empreendedores. Se você ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto, escreva nos nossos comentários!

Conheça os benefícios de empréstimo online: simule agora

Assine a newsletter da IOUU e mantenha-se atualizado com as notícias do mercado!

imagem-01-blog

Quem viu esse post também curtiu:

Pessoa Politicamente Exposta: O que é e o que muda...

Um termo que tem ganhado cada vez mais relevância ...

leitura de 7 min

Peer to Peer Lending no Brasil: O que é e como sol...

O mercado de Peer to Peer Lending no Brasil está c...

leitura de 5 min

Como atrair clientes para seu negócio em 6 passos ...

Como atrair clientes é a pergunta número um feita ...

leitura de 9 min